“Palhaços na Estrada” pelo nordeste brasileiro: o começo…

Relato de Alessandra Nogueira, a palhaça Neguinha

1º dia Dia 01/07/11

Começa a caravana. Chega o dia tão planejado, com carinho e muito trabalho. O sonho que começou com um projeto escrito, agora, é realidade. Os Palhaços Trovadores botam o pé na estrada. Mais uma missão, mais uma história de riso, gargalhada e encontros. O ônibus chega à casa dos palhaços na hora marcada: às 04:00h.

Todos ajudam na arrumação das coisas. Tudo pronto? Despedidas da família, parentes e amigos. Chega a hora da foto oficial: na frente do ônibus, rsrsrsrsrsrs….

Às 05:00h os palhaços seguem em frente…..

A viagem foi tranqüila. Comer, dormir, conversar, dar gargalhadas, dormir de novo…. Comer de novo… E vamos indo. Parada para o almoço. Todos alimentados. Vamos em frente.

Depois de um tempo, já no Maranhão, um barulho estranho, um estouro. Todos se assustam, o ônibus pára. O pneu estourou. Parada obrigatória de mais ou menos uma hora no meio da estrada. Depois do susto, tudo certo, vamos partir.

Entrando na cidade… Um engarrafamento enooooooorme… Por isso atrasamos a chegada no hotel.

Finalmente…. Chegamos. Jantar primeiro, depois arrumar as coisas. Se acomodar nos quartos para descansar.

Um novo dia nos espera amanhã….

2º dia Dia 02/07/11

Segundo dia. Acordar cedo para o café. A saída para o primeiro dia de trabalho foi às 08: 00h. Todos acomodados no ônibus partimos para a cidade operária, bairro afastado do centro, com uma população mais carente. A apresentação foi numa escola que há 10 anos era considerada uma escola violenta, mas que através de um projeto de arte, educação e leitura, feito ao longo desses anos pelo diretor e professor da escola, vem mudando esta realidade. Hoje há um grupo de teatro a todo vapor.

Na escola, todos estavam a nossa espera. Crianças, adolescentes, funcionários. Todos estavam lá. Curiosidades de ambos os lados. Nós: Como será? Vai ser a primeira apresentação do projeto. O ponta pé; Como o espetáculo vai ser recebido?….

Eles, talvez: Quem são estes palhaços? De onde vêm? O que vai acontecer aqui?….

Começa a apresentação… As primeiras risadas aparecem alimentando o coração do palhaço. Nossa alma é invadida definitivamente. Tudo começa de fato, vamos com tudo…

Foi maravilhoso. Risos, gargalhadas, encontros. Ao final da apresentação, sentamos com o grupo de teatro da escola para um bate papo, troca de informações e experiências. Muito bom.

Parada para o almoço no hotel. No fim da tarde: visita ao centro histórico da cidade. Na rua principal ou pelo menos parecia, um portal com a figura do Cazumba ou cazumbá, personagem do boi de matraca, que representa os espíritos que espantam o mau, ou a figura que espanta os maus espíritos. Por isso a máscara grotesca, a gestualidade também grotesca. Alguns usam estandartes na cabeça com bordados e decorados.

Depois do passeio ao centro histórico, parada para o jantar. Tomar um caldinho. Partimos em seguida para a Lagoa assistir as apresentações do boi. Maravilhoso, muita cor, muita música, cheiros… Lindo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s